O paisagismo em uma construção, seja ela de uso residencial ou comercial, é um elemento de destaque que traz pontos positivos na estética geral da edificação e pode ser um fator decisivo na melhora da qualidade de vida dos usuários. Seja através de um pequeno canteiro ou um jardim extenso, investir no paisagismo é uma ótima pedida para quem está construindo.

O paisagismo faz toda a diferença no resultado final.

Como, onde e quando?

O paisagismo não necessariamente precisa ter um tamanho definido. Você não necessita de um uma área livre de 20m² para agrega-lo à sua construção, basta saber como e quando usar. Em construções com poucas áreas livres de terreno e principalmente aquelas onde não é possível ter muitas janelas para o exterior, os chamados jardins de inverno (jardins em áreas internas) são muito bem vindos: trazem iluminação natural, podendo ou não agregar aberturas para ventilação (quase sempre zenital, ou seja, aberturas na cobertura), além de darem charme para os ambientes. Em áreas extensas, utilizar com abundância vegetação de todos os portes e elementos paisagísticos como pedras e esculturas são capazes de transformas um simples trajeto de um ponto A ao B em um belo passeio.

Caso sua construção ocupe todo o terreno e não possua local para criar um espaço verde, não há problemas. O uso de elementos paisagísticos invadiu as áreas internas: jardins e hortas verticais, o uso de minijardins embaixo de escadas e abusar de plantas na decoração estão em alta.

O uso de pergolados com trepadeiras além de sombrear percursos são elementos visuais muito positivos.

Manutenção

 

Algo que deve ser pensado na hora de decidir o paisagismo é a manutenção. Diferentemente de outros elementos construtivos, jardins em geral necessitam de manutenção constante. Você deve avaliar quais são suas possibilidades de fazer essa manutenção e ela vai nortear sua decisão: caso você disponha de um jardineiro, não há motivo para se preocupar com podas, recolhimento de folhas caídas e regas periódicas, podendo optar pelos mais diversos tipos de plantas. Caso disponha de pouco tempo para manutenção, ou fica muitos dias longe de casa, talvez optar por áreas com menos plantas e mais elementos não vivos, como o uso de seixos decorativos e estátuas,  além de espécies que requeiram pouca manutenção e regas, como cactos e suculentas, seja a melhor pedida.

O jardim embaixo do patamar da escada traz verde para o interior da sala

Seja qual for sua necessidade, orçamento e espaço, sempre procure orientações de um profissional para especificar as espécies, sistemas de irrigação e drenagem. E não se esqueça de cotar com um profissional de sua confiança para obter o melhor custo benefício para a sua obra.