Ter uma obra mais econômica é interessante para qualquer pessoa e essa economia pode vir de diversas formas.

Cronograma de obra

Ter a consciência de cada etapa é extremamente importante para a economia final da obra, seja ela do zero ou uma reforma. Dessa forma, serviços que podem ser executados simultaneamente e independentemente um do outro, diminuem o tempo de obra. A economia pode vir desde a diminuição de mão de obra ociosa (dependendo de como foi feito o orçamento do serviço – pagamento por dia ou por trabalho), diminuição no pagamento de equipamentos alugados ou terceirizados (britadeira, betoneira, caçamba de entulho, etc.) e, as vezes, entra nessa conta até mesmo o aluguel extra que a pessoa paga por estar em outro local devido à obra. O correto agendamento de materiais e equipes te permite coordenar esse cronograma de obras e nada ficar parado por falta de material. É preciso gerenciar riscos. Isso significa, prever o que pode ser feito e considerar tempos de segurança caso haja antecipação no término de uma etapa, mas principalmente no atraso em alguma delas devido ao mau tempo, à má execução, ausência de funcionário por motivos quaisquer ou atraso na entrega de algum fornecedor.

Orçamentos

O ideal é orçar pelo menos em 3 locais quando possível. Ter várias opções te dá condição de avaliar custo final com frete e prazos. Desde casas de grandes nomes como comércios locais. O app coteconstrua (disponível para Android e iOS) ajuda nesta etapa.

Projeto

Ter um projeto é fundamental. Tudo tem que estar definido antes do início das obras para evitar, ao máximo, o desperdício na compra de materiais e repetidas idas às compras por falta deles. O projeto também minimiza erros e, impreterivelmente, viabiliza a melhor opção dentre as várias possíveis, valorizando o imóvel.

Contratar um profissional para a obra, custa aproximadamente 10% do custo total da obra, já o desperdício de quem costuma fazer tudo por conta costuma chegar próximo de 30% desse mesmo custo. Leia mais aqui.

É importante saber em que etapa é possível escolher um material mais barato sem perder em qualidade. Na etapa de revestimentos a diferença de custo dos produtos é enorme e costuma ser uma das mais caras da construção. Por isso, é fundamental entender as necessidades que o ambiente, seu uso e usuário pedem para poder fazer escolhas conscientes. Se você quer muito um piso muito caro, por exemplo, o arquiteto saberá bem onde você pode fazer trocas inteligentes que compensem esse custo alto sem prejudicar a estética, conforto e funcionalidade do espaço.